41 diref 010 0

Agentes da Polícia Federal saíram às ruas na manhã desta terça-feira (21) para cumprir 14 mandados de busca e apreensão da Operação Lava Jato em Pernambuco, Alagoas, Brasília, Bahia e Rio de Janeiro. Os mandados são os primeiros com base na delação premiada da empreiteira Odebrecht e foram autorizados pelo ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR).
Os alvos desta terça são pessoas ligadas aos senadores Renan Calheiros (PMDB-AL), líder do PMDB no Senado; Eunício Oliveira (PMDB-CE), presidente da Casa; Valdir Raupp (PDMB-RO) e Humberto Costa (PT-PE). Os parlamentares, no entanto, não são alvo de mandados.
A operação desta terça é a sétima fase da Lava Jato no âmbito do STF, que investiga pessoas citadas na operação com foro privilegiado. Esta etapa foi batiza pelos investigadores de "Satélites".
Segundo a Procuradoria-Geral da República, o objetivo da operação é investigar indícios dos crimes de corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro. A PGR alegou que não pode divulgar mais detalhes dos mandados porque "os termos de depoimentos estão em segredo de Justiça".
Uma das buscas foi realizada em Brasília, na empresa de transportes e valores Confederal, que pertence a Eunício.
Em nota, a defesa do senador disse que Eunício "tem a convicção que a verdade dos fatos prevalecerá". A nota afirmou ainda que Eunício autorizou em 2014 que fossem solicitadas doações, "na forma da lei", à sua campanha ao governo do Ceará.
A assessoria de Humberto Costa também divulgou nota, na qual afirma que o senador está certo que a operação não vai encontrar indício que "desabone a sua vida pública".
A defesa de Valdir Raupp divulgou nota na qual afirma que o senador desconhece o teor da nova fase da Lava Jato.
O G1 entrou em contato com a assessoria de Renan Calheiros e aguardava resposta até a última atualização desta reportagem.
Buscas no Recife
Acompanhados pelo Ministério Público Federal (MPF), os policiais cumpriram mandados de busca e apreensão em um edifício na Avenida Boa Viagem, área nobre de Recife.
Os agentes foram à casa do empresário Mário Barbosa Beltrão e de Sofia Nogueira Beltrão, segundo apuraram a TV Globo e o G1.
O advogado Ademar Rigueira, que defende o empresário Mário Barbosa Beltrão e os filhos dele, Sofia Nogueira Beltrão e Marco Nogueira Beltrão, disse que ficou surpreso com os mandados de busca e apreensão.
"O inquérito judicial que apura a denúncia contra o empresário está no Supremo Tribunal Federal há um ano e todas as provas já foram produzidas", afirmou.
Segundo ele, a Polícia Federal já se pronunciou pelo arquivamento do processo. O advogado disse ainda que vai aguardar a decisão do ministro Edson Fachin, do SFT, para saber se há algum fato novo que justifique os mandados de busca e apreensão cumpridos no Recife.
Após o cumprimento do mandado, o senador Humberto Costa disse no Senado que é amigo de Mário Beltrão. Segundo o senador, eles se conhecem de infância e a única relação que os dois têm, além da amizade, é a de "lutar para levar para Pernambuco uma refinaria e uma petroquímica". (Veja vídeo acima)
De acordo com a PF em Pernambuco, os documentos e materiais apreendidos estão sendo encaminhados para a sede do órgão, no Cais do Apolo, região central do Recife, de onde serão remetidos para Brasília. A Polícia Federal apontou ainda que as investigações seguem em segredo de Justiça.
Veja as notas dos senadores sobre a operação Satélites
Eunício Oliveira:
Nota à imprensa
A propósito das buscas e apreensões realizadas hoje (21), supostamente decorrentes de delações premiadas, o presidente do Senado Federal, Eunício Oliveira (PMDB-CE), tem a informar:
- No ano de 2014, durante o processo eleitoral, autorizou que fossem solicitadas doações, na forma da lei, à sua campanha ao Governo do Estado do Ceará.
- O pedido de abertura de inquéritos no Supremo Tribunal Federal, destinados a apurar versões de delatores, cujos conteúdos desconhece, é o caminho natural do rito processual.
- O senador tem a convicção que a verdade dos fatos prevalecerá.
Aristides Junqueira Alvarenga
Humberto Costa:
NOTA DO SENADOR HUMBERTO COSTA
Sobre a fase da Operação Lava-Jato realizada nesta terça-feira (21), o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), esclarece que a Polícia Federal já solicitou o arquivamento do inquérito aberto no Supremo Tribunal Federal (STF) por não encontrar qualquer evidência de irregularidade ao longo de dois anos de extensa investigação.
O senador – que tem contribuído com as autoridades em todos os esforços necessários à elucidação dos fatos – está certo de que a ação de hoje vai corroborar a apuração realizada até agora, que aponta para o teor infundado da acusação e da inexistência de qualquer elemento que desabone a sua vida pública.
Por fim, o senador Humberto Costa reitera que sempre esteve e continua à disposição para quaisquer informações adicionais de que necessitarem a Polícia Federal, a Procuradoria-Geral da República e o Supremo Tribunal Federal e espera que o inquérito em tela possa, finalmente, ser concluído.
Valdir Raupp
A defesa do senador Valdir Raupp representada pelo advogado Daniel Gerber afirma que “o senador Valdir Raupp desconhece o teor da nova fase da Lava Jato, em andamento, mas está sempre à disposição do Poder Público para esclarecer fatos que digam respeito a si", finaliza Gerber.

Fonte: GLOBO/G1

  •   SPS - Área Especial - Conjunto 4,
    Serviço Médico DIREF - CEP:70610-902
    Brasília - DF
  •   (61) 3445-2011
  •   (61) 3346-1023
  •   (61) 3346-4861
  • diref@diref.org.br

Localização